CONHEÇAO AROLDE

mask
Neste espaço você pode navegar em fotos do acervo do Centro de Memória Arolde de Oliveira, passando por toda a biografia do menino de São Luiz Gonzaga até chegar aos dias atuais, navegando pela formação acadêmica, carreira de engenheiro de telecomunicações, até, enfim, a carreira política. Basta escolher a década desejada para acompanhar os principais fatos. Para ter acesso à biografia completa do Deputado, basta clicar aqui .
1937
Em 11 de março, nascia Arolde de Oliveira, em São Luiz Gonzaga, Rio Grande do Sul.
1938
Filho mais velho de Sr. Horácio e Dona Margarida (foto). Seus irmãos eram quatro: Eloísa, Walter, Flávio e Inês.
1939
A primeira infância passou com os irmãos no campo. Como não havia escola por perto, sua mãe foi quem o ensinou a ler.
Com muito pouco recurso, criavam o suficiente para sobreviver. Nas terras da família viviam de criação de animais e agricultura para subsistência.
Descendente da família Pinheiro Machado, seus avós e pais viviam no campo. Na foto, o avô materno Homero Pinheiro Barboza.
1945
Sr. Horácio e Dona Margarida queriam que o filho estudasse, por isso, Arolde saiu do campo e foi morar em uma pensão no centro da cidade de São Luiz Gonzaga.
1946
Longe da família (com os irmãos na foto) Arolde teve que trabalhar para pagar seus estudos: trabalhou de engraxate e vendedor de ovos e verduras para os vizinhos.
1947
Durante a semana estudava e trabalhava na cidade. Nos finais de semana voltava ao campo para rever a família.
1948
Conseguiu, com muito esforço, iniciar os estudos. O curso primário fez na Escola Pinheiro Machado e o ginasial no Ginásio Santo Antônio de Pádua.
O curso Científico começou a fazer com padres franciscanos norte-americanos. Lá aprendeu francês, inglês, latim, cultura universal.
1953
Arolde não concluiu o Científico em São Luiz, para tentar a vida na capital gaúcha, Porto Alegre. Ingressou na Escola de Preparação de Cadetes de Porto Alegre (EPPA).  
1954
Na EPPA, formou-se cadete e resolveu seguir carreira ao preparar-se para a Academia Militar. Começava então a carreira militar.
1957
Ao ingressar na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) fez nova mudança: desta vez para Resende, no Rio de Janeiro.
1958
Na AMAN iniciou sua caminhada para tornar-se engenheiro eletrônico ao escolher fazer parte da Arma de Engenharia durante o Curso.
1959
Como atleta, Arolde já atuara pelo Clube Sogipa e pelo Grêmio em Porto Alegre. No Rio, defendeu o Fluminense.
1960
Arolde de Oliveira chega então à cidade do Rio de Janeiro. O aspirante a oficial ingressa no Instituto Militar de Engenharia (IME), para estudar o Curso de Engenharia Eletrônica na Praia Vermelha
1960
No mesmo ano, Arolde casa-se com Yvelise Assis Vieira. No ano anterior, viera ao Rio para disputar uma competição pelo Fluminense e conheceu a jovem e começou o relacionamento.
1961
Nasce a primeira filha: Marina de Oliveira. Paralelo à Engenharia, cursou Economia pela Faculdade de Ciências Econômicas, em 1964.
1965
Torna-se engenheiro eletrônico pelo IME e integra o Conselho Nacional de Telecomunicações, que deu origem ao Ministério das Comunicações. No mesmo ano, nasce seu segundo filho, Benoni
1967
Torna-se economista e é promovido a Capitão da Arma de Engenharia, mas desliga-se do Exército três anos depois.
1970
Entra para a recém-criada EMBRATEL, e especializou-se nos sistemas de telecomunicações. Foi escolhido para Chefe de Departamento de Operações, em Uberada, Minas Gerais.
1972
De Uberaba para Belém. Arolde foi o gestor da implantação do sistema de radiodifusão para a Amazônia com o slogan: “Esse fez ouvir a voz do Norte”. Arolde administrou a instalação de 20 estações.
1973
Foi nomeado secretário de telecomunicações do Ministério das Comunicações e também assessor do Presidente da TELEBRAS.
1976
Nova mudança: governou a International Telecommunications Satellite Organization (INTELSAT), chefiando o escritório Permanente da EMBRATEL, em Washington, nos Estados Unidos.
1979
De volta ao Rio, foi diretor Regional do Departamento Nacional de Telecomunicações e fundou mais de 200 clubes de PX.
1981
Fez Escola Superior de Guerra. Lá conheceu o Pr. Nilson do Amaral Fanini, da PIB de Niterói. Converte-se com toda sua família ao cristianismo. Fanini foi um dos entusiastas para ingressar na vida política.
1982
Organizou o "Reencontro Obras Educacionais e Sociais" no Maracanã que reuniu mais de cem mil pessoas e trouxe, pela 1ª vez, o Presidente do Brasil, na época João Figueiredo (centro), a um evento evangélico.
1983
Foi eleito como 1º suplente para o cargo de deputado federal pelo PDS. Assumiu o cargo, já em 1983, após Álvaro Valle se licenciar.
1986
Enquanto não substituía Álvaro Valle, foi vice-presidente da TELERJ. Instalou mais de 50 centrais telefônicas para famílias de baixa renda. Nas urnas, foi reeleito para deputado Federal, já pelo PFL.
1988
Durante a Assembleia Nacional Constituinte, Arolde de Oliveira fez 111 propostas que entraram no texto final da carta magna.
1992
Arolde inaugura a Rádio El Shaday FM, em 93,3 MHz, com programação exclusiva para os evangélicos e adquire a gravadora MK Publicitá, fundada por sua filha Marina de Oliveira 5 anos antes.
1993
Com o sucesso da Rádio El Shadday e de sua filha, a cantora gospel Marina de Oliveira (foto), Arolde promove o 1º "Canta Rio", atraindo mais de 150 mil pessoas à Quinta da Boa Vista.
1994
Em outubro, foi reeleito deputado federal pelo PFL, e apoiou a eleição de Fernando Henrique Cardoso a presidente.
1995
Defensor da privatização das telecomunicações presidiu a Comissão de Ciência e Tecnologia, e iniciou o processo de abertura das Telecomunicações no país.
1996
Relator da Lei Mínima das Telecomunicações, que, junto com a Emenda Constitucional 8, abriu caminho para a privatização do setor.
2000
Além do já tradicional “Canta Rio”, Arolde promove o “Canta Brasil 500”, o único evento gospel incluído no calendário oficial de comemorações dos 500 anos da descoberta do Brasil.
2001
Após 10 anos à frente, Arolde deixa a presidência do diretório regional do PFL do Rio de Janeiro para ir para a Executiva Nacional.
2002
É convidado pelo prefeito César Maia para ser Secretário de Transportes da Cidade do Rio de Janeiro. Ficou seis anos no cargo.
2007
Como Secretário de Transportes, organiza o planejamento de transportes para a XV edição dos Jogos Panamericanos Rio 2007.
2009
Ficha limpa, Arolde aprovou e defendeu o Projeto de Lei de Iniciativa Popular 519, a “Lei da Ficha Limpa”.
2010
Vence pela oitava vez consecutiva a eleição para deputado federal pelo Estado do Rio de Janeiro
2012
É convidado para Missão Oficial em Israel representando a Câmara dos Deputados para os assuntos do Oriente Médio.
2014
Eleito deputado federal pela 9ª vez consecutiva.
2015
Assume a Secretaria Estadual de Trabalho e Renda do Estado do Rio de Janeiro.
2016
Vota a favor do impeachment da Presidente da República Dilma Rousseff